Prémio Nobel da Literatura 2015

08-10-2015 14:24

Svetlana Alexievich é o Prémio Nobel da Literatura de 2015, anunciou nesta quinta-feira a Academia Sueca, em Estocolmo. A bielorussa é o 112.º escritor a ser premiado com a mais importante distinção literária, que em 1998 foi entregue ao português José Saramago. Sara Danius, secretária permanente da Academia (a primeira mulher neste cargo), destacou a “obra polifónica” de Alexievich. “Um memorial ao sofrimento e à coragem da nossa época.”À televisão pública sueca SVT, Sara Danius revelou que acabara de falar com a jornalista e escritora e que ela apenas disse uma palavra: “Fantástico!”, escreve a agência AFP.Svetlana Alexievich, nascida em 1948 em Minsk, na Bielorrússia, é considerada uma das autoras mais prestigiadas a escrever sobre a antiga URSS. Já este ano foi editado pela Porto Editora o seu mais recente livro, O Fim do Homem Soviético - Um  Tempo de Desencanto (obra de 2012), que lhe valeu o Prémio Médicis Ensaio, em 2013, e foi considerado o Melhor Livro do Ano pela revista Lire.

Na introdução ao livro intitulada "Notas de uma cúmplice" a autora escrevia: "Despedimo-nos dos tempos soviéticos. Dessa nossa vida. Tentarei escutar honestamente todos os participantes do drama socialista... [...] Em pouco mais de setenta anos, no laboratório do marxismo-leninismo criou-se um  tipo humano especial - o Homo sovieticus. [...] Encontrei nas ruas jovens com a foice e o martelo e o retrato de Lenine nas camisolas. Saberão eles o que é o comunismo?" (pág. 17). 

Em 2016 a editora portuguesa Elsinore irá publicar em português Vozes de Chernobyl (título ainda provisório) que assinalará assinalará os 30 anos do desastre nuclear naquela localidade da ex-União Soviética.

Está traduzida em 22 línguas e algumas das suas obras foram adaptadas a peças de teatro e documentários. Alexievich recebeu, entre outras distinções, o Erich Maria Remarque Peace Prize, em 2001, e o National Book Critics Circle Award, em 2006.

Estudou na Universidade de Minsk entre 1967 e 1972. Trabalhou vários anos como jornalista até publicar a sua primeira obra, War's Unwomanly Face, em 1985, que teve por base centenas de entrevistas a mulheres que participaram na Segunda Guerra Mundial. 

No ano passado a distinção foi atribuída ao escritor francês Patrick Modiano. O prémio tem um valor pecuniário de oito milhões de coroas suecas (cerca de 877 mil euros). Em 2012, a Academia reduziu o prémio de dez milhões de coroas suecas (cerca de um milhão de euros) para o valor actual.

As habituais, e já tradicionais, casas de apostas, apontavam este ano a jornalista bielorussa Svetlana Alexievich (publicada em Portugal pela Porto Editora) como a favorita para suceder a Modiano. Já em 2013, Alexievich era nome de que se falava.

Juntamente com autores já considerados como eternos candidatos ao Nobel como o japonês Haruki Murakami ou os norte-americanos Philip Roth e Joyce Carol Oates. António Lobo Antunes é também um nome recorrente nesta corrida das apostas – que raramente acertam.

Alexievich torna-se assim na 14ª mulher a ser laureada com o Nobel da Literatura. Desde 1901, foram já premiados com o Nobel da Literatura 112 escritores. José Saramago é até agora o único autor português que recebeu este prémio Nobel da Literatura.

Este é o quarto prémio atribuído pela Academia Sueca este ano depois doNobel da Medicina (William Campbell e Satoshi Omura), da Física (Takaaki Kajita e Arthur McDonald,) e da Química (Tomas Lindahl, Paul Modrich e Aziz Sancar). Nesta sexta-feira será atribuído o Prémio Nobel da Paz pelo Comité Nobel Norueguês.